"ALGUMAS MENINAS GOSTAM DE SUPER-HERÓIS, OUTRAS MENINAS GOSTAM DE PRINCESAS..."


Em um vídeo de apenas um minuto e onze segundos uma criança chamada Riley começa a fazer questionamentos a um adulto. Até aí tudo bem, qual criança não passa por essa fase? Mas o diferencial desse pequeno vídeo é o fato de que a menina indaga sobre questões de machismo, sexismo, manipulação das indústrias de brinquedo, direito de escolha e gênero em um discurso que flerta com o pensamento feminista. Ela consegue levantar questionamentos que nunca nem passaram pela percepção de muitos adultos por aí. É incrível!

Eis o diálogo...

Riley: Não é justo todas as meninas comprarem princesas.

E todos os meninos comprarem super heróis!
Adulto: Por quê?

Riley: Porque meninas querem super-heróis e os meninos querem super-heróis!

E as meninas querem coisas rosa e os meninos não querem coisas rosa.

Adulto: Os meninos não...

Por que acha que isso acontece?

Fariam isso?

Riley: Porque as companhias que fazem esses (brinquedos) tentam enganar as meninas para que elas comprem as coisas rosa ao invés das coisas que os meninos querem comprar, certo?

Adulto: Sim... mas você pode comprar qualquer um, né? E os meninos também, se eles quiserem, eles podem comprar coisas cor de rosa, certo?

Riley: Sim!!! E porque então todas as meninas só tem que comprar princesas ???

Algumas meninas gostam de super-heróis, outras meninas gostam de princesas. Alguns meninos gostam de super-heróis, outros meninos gostam de princesas.

Então porque todas as meninas tem que comprar coisas cor de rosa e todos os meninos devem comprar coisas de cores diferentes?

Adulto: É uma boa pergunta, Riley 



Atenção pais, educadores e responsáveis: Que pré-conceitos e padronizações vocês andam incutindo na cabeça de nossas crianças? Vale a reflexão.

3 comentários:

{ chico } at: 9 de janeiro de 2012 17:07 disse...

sociedade nojenta e esmagadora essa atual, mas é possível uma mudança, ao menos eu acredito nelas e esses questionamentos só me fazem ter ainda mais certeza!

{ O Pedagogento } at: 10 de janeiro de 2012 11:06 disse...

eu também sou um romântico incorrigível... acredito que as coisas estão evoluindo e a existência de uma criança com esse tipo de reflexão é uma prova disso!!!

{ Zuleika Silva } at: 27 de julho de 2013 17:26 disse...

Eu tive coragem de me livrar de padrões que nunca consegui entender depois de ser mãe.Como algo que eu não acreditava ,poderia passar para meu filho? Mas ao mesmo tempo me preocupo com a questão de relacionamento dele com outras crianças que em sua grande maioria são orientadas a seguir esses padrões.

Postar um comentário

 

Copyright © 2009 - 2012 O Pedagogento| Todos os direitos reservados | Site by Santiago Régis |