destaque

destaque
9 de mai de 2012

CONSUMISMO INFANTIL



O consumismo infantil está em toda parte e atua com ares de inocência. Se formos analisar os diversos comerciais voltados à criança e as estratégias de anúncio de seus produtos, veremos que sempre procuram criar um ambiente, uma atmosfera de magia, encantamento, felicidade. As crianças estão suscetíveis a esse tipo de ação, por estarem em processo de educação do olhar. 
As crianças não dispõem do leque de possibilidades existenciais que os adultos dispõem. Para elas, é muito mais difícil visualizar o rol de possibilidades que estão à sua escolha, e acaba refém daquela que se apresenta no seu dia-a-dia e no cotidiano de seus colegas, justamente através do discurso publicitário.
Uma propaganda de brinquedos infantís dificilmente irá encantar um adulto, o alvo é especificamente as crianças. Esse fato pode ser comprovado ao perceber que essas mensagens passam massivamente nos horários em que geralmente os pequenos estão de frente para a tv, nos intervalos dos programas infantís e de desenhos animados. As empresas sabem que são os adultos que compram, mas que são as crianças que precisam ser seduzidas primeiro, e portanto são elas que decidem o que deve ser comprado.

Esse assunto deve estar em pauta na família e no ambiente escolar, pois o que as crianças consomem irá influenciar diretamente na sua condição enquanto criança e enquanto cidadão. O que vem sendo ofertado às crianças são produtos que fazem com que estes se assemelhem cada vez mais ao adulto. Meninas de três anos querem estojo de maquiagem e aquela roupa que a protagonista da novela está usando. No Brasil podemos perceber um processo de erotização precoce que também tem raízes no consumismo, que vai da roupa aos acessórios, chegando também a música. Para algumas crianças serem chamadas de tal virou uma ofensa. O consumismo desenfreado está impondo um modelo de vida que está afastando os pequenos do lúdico, que é o que colabora com a imaginação, a construção, a descoberta, o amadurecimento saudável, o convívio proporcionado pelos momentos de brincadeiras.


O documentário "Criança, a alma do negócio" mostra de forma clara os aspectos envolvidos no consumismo infantil. Apresenta depoimentos interessantes de pais, professores e teóricos sobre o assunto e um panorama dessa realidade no cotidiano das crianças brasileiras. 

2 comentários:

Vanessa Anacleto at: 10 de maio de 2012 06:43 disse...

Beleza de texto. Onde eu estava que não conheci este blog antes? :-)
Convido a visitar a Comunidade Infância Livre de Consumismo e peço licença para compartilhar seu post. Abraço.

Rafael Mussolini at: 10 de maio de 2012 07:14 disse...

Obrigado pela visita e pelas palavras. Irei visitar sua página sim, adoro essa troca de informações via web. Fique à vontade para compartilhar a postagem. Um abraço!

Postar um comentário