destaque

destaque
30 de mai de 2012

A VIDA CURTA E INCRIVELMENTE FELIZ DE RILEY



A ilustração acima foi o primeiro contato que tive com o livro "A vida curta e incrivelmente feliz de Riley" (Brinque-Book, 2008) do autor e ilustrador Colin Thompson. Minha reação não foi das melhores, eu confesso. Fiquei assustado com a imagem, talvez porque eu seja vegetariano e o alimento é utilizado como elemento chocante na proposta da ilustração. Segundo que nossos olhos parecem estar acostumados a idéia de que em livro infantil não pode existir nada além do fofo. Talvez. Lembro que nem me dei ao luxo de ler a história e já comecei a chamar alguns colegas que estavam perto para ver a imagem, com asco. Emití um juízo de valor completamente descontextualizado, mas após ler a história iniciei uma grande história de amor com o Colin, o Riley e a proposta do livro.

Quando o assunto é criança somos simplesmente preconceituosos. Subestimamos a inteligência dos pequenos com a idéia de proteção, oferecendo "o melhor", dando aquilo que eles precisam. Boa parte do tempo nos encontramos enganados. Estamos com uma nova e exigente geração de crianças para educar. Se os tempos mudaram porque as crianças não mudariam? 

"A vida curta e incrivelmente feliz de Riley" é um livro fantástico e foge de todos os clichês. De forma ousada apresenta ao jovem discussões intrigantes e muitas vezes ignoradas nos livros infantis. Sem rodeios, mas com o cuidado que as crianças merecem, a história trata de alienação, sociedade de consumo, gênero, sexualidade, planejamento de vida, alimentação, família, relacionamento, felicidade, morte. Com certeza eu me esquecí de citar algum outro desmembramento que pode ser explorado nesse livro, mas não pense que você irá encontrar todas essas questões expostas didaticamente e com suplemento literário. É um livro de reflexão, onde a leitura com a criança deve ser minimamente direcionada, deixando com que elas façam com o que leram, ouviram e viram o que achar melhor.

2 comentários:

Anônimo at: 30 de maio de 2012 07:34 disse...

Estou curiosa Rafa!

Santiago Régis at: 4 de junho de 2012 18:59 disse...

Livro chocante!!

Postar um comentário