destaque

destaque
20 de mar de 2014

VÍDEO DE QUINTA: SE EU FOSSE UM LIVRO



José Jorge Letria e André Letria

Se eu fosse um livro,
Ia pedir a quem me encontrasse na rua
Para me levar pra casa.

Se eu fosse um livro,
Dividiria com meus leitores
Os segredos mais antigos.

Se eu fosse um livro,
Ia querer ter sempre um lugar reservado
No quarto mágico de cada criança.

Se eu fosse um livro,
Ia pedir às pessoas para não me
Usar de enfeite na prateleira.

Se eu fosse um livro,
Saberia tudo sobre Nova York
E a Roma Antiga.

Se eu fosse um livro,
Deveria ser lido e relido por quem
Em silêncio, me chamasse “amigo”.

Se eu fosse um livro,
Não ia querer saber logo no começo
Como a história acaba.

Se eu fosse um livro,
Ia saber de cor todas as histórias
Que morassem nas minhas páginas.

Se eu fosse um livro,
Guardaria bem guardados
Todos os segredos que me contassem.

Se eu fosse um livro,
Nunca ia sentir pressa
De ler a palavra “fim”.

Se eu fosse um livro,
Não ia gostar que me lessem só por
Obrigação ou por estar na moda.

Se eu fosse um livro,
Queria ser um arranha-céu
Todo feito de letras e sons.

Se eu fosse um livro,
Ia querer que viajassem nas minhas páginas
Até a ilha de todos os tesouros
Se eu fosse um livro,
Ia querer estar em todos os lugares
Onde pudesse fazer alguém feliz.

Se eu fosse um livro,
Teria sempre o perfume suave
De um dia inesquecível.

Se eu fosse um livro,
seria uma janela aberta
para a imensidão do mar.

Se eu fosse um livro,
Ia convidar um poeta para jantar
Sempre que um poema seu iluminasse a noite.

Se eu fosse um livro,
Ia querer ser, antes de mais nada,
Sempre lido e livre.

Se eu fosse um livro,
Mesmo sem gostar de proibir,
Eu proibiria a palavra “ignorância”.

Se eu fosse um livro, não ia gostar
Que alguém fingisse que já me tinha lido,
Só para ficar bem-visto.

Se eu fosse um livro,
Ia ter medo, mais do que de tudo,
Da terrível palavra “esquecimento”.

Se eu fosse um livro,
Ia tornar livre e indomável
O leitor que me escolhesse.

Se eu fosse um livro,
Seria um imenso poema
E daria às palavras sentidos inesperados.

Se eu fosse um livro,
Queria ser uma arma eficaz e doce
Para matar pra sempre o desejo de guerra.

Se eu fosse um livro,
Não ia me importar de ir para uma ilha deserta
Com um leitor apaixonado.

Se eu fosse um livro,
Teria todos os rostos,
Que o tempo quisesse me dar.

Se eu fosse um livro,
Ia querer crescer sem limites
Até me transformar em uma biblioteca.

Se eu fosse um livro,
Ia querer ouvir alguém dizer:
“Este livro mudou minha vida”.


SE EU FOSSE UM LIVRO from very2much on Vimeo.

0 comentários:

Postar um comentário